Vous êtes sur la page 1sur 8

Análise de circuitos em corrente contínua

Teorema da Sobreposição
R1 R2

2k2 1k
R3
3k3
 E1 E3 

9V 6V
E2
 12 V
Teorema da Sobreposição

Introdução
Por este método, podemos determinar os valores de tensão e corrente num determinado
componente de um circuito formado por várias fontes de tensão e/ou de corrente.

Verifica-se o efeito que cada fonte produz (em separado) no componente em questão.

A soma desses efeitos produzidos por cada uma das fontes do circuito resulta no valor
real da corrente eléctrica que circula pelo componente analisado.

Para analisar o efeito de uma qualquer fonte em separado, devem-se curto-circuitar as


outras fontes de tensão e retirar as fontes de corrente (circuito aberto).

Vantagem: qualquer circuito analisado, tem apenas uma única fonte.

Desvantagem: muitos cálculos (um cálculo por cada fonte do circuito).


Teorema da Sobreposição

Método de resolução por sobreposição


1. Curto circuitam-se todas as fontes de tensão, menos uma e determina-se o valor da
corrente que passa pelo componente analisado, assim como o seu sentido.
Este item deve ser repetido tantas vezes quantas as fontes de tensão no circuito.

1. Somam-se as diversas correntes obtidas pelo item anterior para determinar o valor
final da corrente (correntes em sentidos opostos devem ser subtraídos). Assim sendo,
temos não só a corrente no componente, como também o seu verdadeiro sentido.

2. Com o valor da corrente no componente, determina-se a sua tensão (lei de ohm).


Teorema da Sobreposição

Exercício Resolvido
Dado o circuito:

Determinar pelo método da Sobreposição, a tensão e a corrente na resistência R2.

R1 R2

2.2kOhm 1kOhm

R3
E1 3.3kOhm E3
9 V
6 V
E2
12 V
Teorema da Sobreposição

Resolução:
a. Efeito da fonte E1 (curto-circuitando as restantes) sobre a resistência R2:
o circuito toma a seguinte forma.
R1 R2
Podemos agora calcular a tensão em R2, 2.2kOhm 1kOhm
utilizando, por exemplo, o método do divisor
de tensão: R3
E1 3.3kOhm
9 V

Pela Lei de Ohm, calculamos IR2.

O sentido da corrente em R2 neste circuito, é o indicado.


Teorema da Sobreposição

b. Efeito da fonte E2 (curto-circuitando as restantes) sobre a resistência R2:


o circuito toma a seguinte forma.
R1 R2
Podemos agora calcular a tensão em R2, 2.2kOhm 1kOhm
utilizando, também, o método do divisor de
tensão:
R3
3.3kOhm

E2
12 V

Pela Lei de Ohm, calculamos IR2.

O sentido da corrente em R2 neste circuito, é o indicado.


Teorema da Sobreposição

c. Efeito da fonte E3 (curto-circuitando as restantes) sobre a resistência R2:


o circuito toma a seguinte forma.
R1 R2
Neste caso, a corrente IR2 = IT portanto,
será mais fácil, calcular primeiro a RT e pela 2.2kOhm 1kOhm
Lei de Ohm a corrente IT.

R3 E3
3.3kOhm 6 V

Pela Lei de Ohm, calculamos UR2.

O sentido da corrente em R2 neste circuito, é o indicado.


Teorema da Sobreposição

d. Cálculo final da corrente na resistência R2:


R1 R2
Fazemos a soma algébrica das
2.2kOhm 1kOhm
correntes determinadas nos itens
anteriores, atribuindo por
exemplo sinal (+) às correntes R3
cujas setas indica para a direita E1 3.3kOhm E3
() e sinal (-) às correntes cujas 9 V 6 V
setas indicam para a esquerda
E2
().
12 V

IR2 = 2.326 – 2.07 – 2.58 = – 2.324 mA

O resultado é negativo, o que significa que o sentido da corrente IR2 é para a esquerda.

E o valor final da tensão em R2, pela Lei de Ohm, será: