Vous êtes sur la page 1sur 29

 Faculdade Escritor Osman da Costa Lins

 Alunos: Robson Silva de Oliveira /Luan Geyson de Carvalho Virginio


 Professor: Remo
 Curso: Sistemas de Informação
 A lei federal nº 12.334,de 20 de setembro de 2010,obriga
os proprietários a implantarem um sistema de gestão de
segurança em suas barragens,atribuindo a fiscalização ao
SISNAMA e às entidades outorgantes do direito de uso dos
recursos hídricos para fíns de acumulação de água (ANA),dos
direitos minerários para disposição de rejeitos (DNPM),de
autorização de uso do potencial hidráulico para fins de
geração hidrelétrica (ANELL) e às emissoras de licença
ambiental para fins de disposição de resíduos insdutriais.
 Cada um dos Orgãos fiscalizadores ficou responsável
 Por desenvolver/promulgar legislação para desenvolvimento do
cadastro Nacional de barragens Além de dispor sobre sobre o
plano de segurança,Revisão periódica de segurança e inspeções
regulares E especiais.O DNPM deliberou a portaria nº416/12,
A ANA deliberou as resoluções nº 91/12 e nº 742/11E a ANELL
emitiu ofício circular nº 308/12.
 Conforme estabelecido por estas legislações,Os proprietários
de barragens tem a responsabilidade de promover as ações
necessárias á garantia da segurança de suas barragens,para
as fases de construção,operação de desativação,Com a
realização de monitoramento e manutenção,incluindo a
avaliação periódica de segurança e a realização de inspeções
de segurança regulares,através de profissionais
especializados.
 PRINCIPAIS
ASPECTOS
QUESTIONADOS SOBRE GESTÃO
DE RISCOS
 O que se pretendeu saber

 1) Objectivos e desenvolvimento histórico?

 2) Quais os conceitos fundamentais e métodos utilizados?

 3) Casos de aplicação?

4) Quais as perspectivas futuras?


RISCO

 É o valor obtido a partir da consideração de Consequências


possíveis (Designadamente,perdas de vidas e custos) de
acontecimentos indesejáveis,conjugado com a probabilidade de
ocorrêcia de factores (exógenos e endógenos)intervenientes no
processo
 Como em qualquer outro acidente,também neste caso o
melhor remédio é a prevenção,que passa pela gestão do risco
do sistema Albufeira-barragem-vale a jusante
ANÁLISE DE RISCOS

 Por análise de riscos entende-se o conjunto de


procedimentos referentes à identificação dos acontecimentos
indesejáveis,que conduzem à materialização dos riscos,à
análise dos mecanismos que desencandeiam esses
acontecimentos e à determinação das respostas das
estruturas e das respectivas consequências(estimativa da
extensão,da amplitude e da probabilidade da ocorrência de
perdas)
 NUMA ANÁLISE DE RISCOS HÁ TRÉS COMPONENTES

 Um acontecimento (mecanismo da deterioração)


 Uma probabilidade associada à ocorrência desse
acontecimento
 Um dano potencial associado a esse acontecimento

O RISCO DE UM DADO ACONTECIMENTO É O PRODUTO DA


PROBABILIDADE PELO DANO PONTENCIAL
 O que são SalvaGuardas?

 A decisão 1 /CP.16 da Convenção-Quadro das Nações Unidas


sobre Mudança do Clima (UNFCCC, na sigla em inglês) definiu
as salvaguardas para REDD+.
 As salvaguardas formam um conjunto de 7 diretrizes, que
visam potencializar os impactos socioambientais positivos e
reduzir os impactos negativos relacionados às atividades de
REDD+.
 As salvaguardas de REDD+ também são conhecidas como
salvaguardas de Cancun, em homenagem à cidade mexicana
que sediou a 16ª Conferência das Partes (COP) em 2010.

 As salvaguardas devem garantir que as iniciativas de REDD+


abordem de maneira adequada questões sensíveis como os
direitos de povos indígenas e comunidades tradicionais, a
participação social, a preservação de ecossistemas naturais, a
permanência dos resultados de REDD+ alcançados e o risco
de deslocamento da pressão por desmatamento e degradação
florestal para outras áreas.
 As salvaguardas ainda oferecem aos
doadores garantia de que a aplicação dos
recursos transferidos a título de pagamento
por resultados de REDD+ não proporcione
impactos negativos.
 As iniciativas de REDD+ devem promover e apoiar:
 a) Ações complementares ou consistentes com os objetivos dos
programas florestais nacionais e outras convenções e acordos
internacionais relevantes;
 b) Estruturas de governança florestais nacionais transparentes e
eficazes, tendo em vista a soberania nacional e a legislação nacional;
 c) Respeito pelo conhecimento e direitos dos povos indígenas e
membros de comunidades locais, levando-se em consideração as
obrigações internacionais relevantes, circunstâncias e leis nacionais e
observando que a Assembleia Geral da ONU adotou a Declaração das
Nações Unidas sobre os Direitos dos Povos Indígenas;
 d) Participação plena e efetiva das partes interessadas, em particular
povos indígenas e comunidades locais;
 e) Que as ações sejam consistentes com a conservação das florestas
naturais e diversidade biológica, garantindo que as ações [...] não sejam
utilizadas para a conversão de florestas naturais, mas sim para
incentivar a proteção e conservação das florestas naturais e seus
serviços ecossistêmicos, e para contribuir para outros benefícios sociais
e ambientais;
 f) Ações para abordar os riscos de reversões de resultados de REDD+;
 g) Ações para reduzir o deslocamento de emissões de carbono para
outras áreas.
 O acompanhamento e os relatos dos países sobre as
salvaguardas devem cobrir tanto as atividades que geraram
os resultados de REDD+ quanto as iniciativas que receberam
financiamento proveniente de pagamentos por resultados. As
decisões acordadas sob a UNFCCC preveem que os países em
desenvolvimento que desejem obter pagamentos por
resultados de REDD+ devem proporcionar meios para que as
salvaguardas sejam acompanhadas de duas formas, a saber:
 - Com o estabelecimento de um sistema capaz de oferecer
informações para o acompanhamento de como as
salvaguardas estão sendo abordadas e respeitadas durante a
implementação das atividades de REDD+, o Sistema de
informação sobre as SalvaGuardas. Esse sistema deve ser
desenvolvido de maneira autônoma por cada país.
 - Por meio da elaboração de um sumário de
informações sobre as SalvaGuardas. Este
documento deve apresentar informações sobre
como as salvaguardas foram abordadas e
respeitadas durante a implementação de REDD+.
 Vamos citar nesse exemplo os hardwares envolvidos no
sistema de monitoramento e inspeção do complexo de
Germano,

 a Samarco conta hoje com um avançado Centro de


Monitoramento e Inspeção (CMI), em operação 24 horas por
dia, 7 dias por semana. O CMI foi incrementado com base nos
aprendizados obtidos após o rompimento da barragem de
Fundão, em 05 de novembro de 2015.
 O sistema de monitoramento conta com cerca de
480 equipamentos de última geração, tais como:

 estação robótica e meteorológica, radares de


precisão milimétrica ,laser scanner, câmeras,
drones, piezômetros e acelerômetros.
 Os dados são transmitidos em tempo real e apresentados em
telas LED com resolução Full HD. O monitoramento é realizado
pela gerência de Geotecnia, composta atualmente por 48
pessoas, entre técnicos e engenheiros especialistas.
 Pela primeira vez utilizados em larga escala para monitoramento de
barragens no Brasil, os radares são equipamentos desenvolvidos
durante a Segunda Guerra Mundial,originalmente para uso militar. O
nome da tecnologia vem do acrônimo em inglês (Radio Detection and
Ranging), que pode ser traduzido livremente ao português como:

Detecção e Telemetria via Rádio. Posteriormente, esses equipamentos


foram adaptadospara uso geotécnico e são capazes de medir, através
da interferometria,deformações ou movimentações submilimétricas nos
maciços das barragens.
 Além dos radares de superfície, a Samarco é também uma das
primeiras empresas do país a utilizar radares em satélites em órbita.
Essa tecnologia permite a detecção de movimentações em áreas
extensas, possibilitando a análise de toda a região onde a empresa
opera.

 Além disso, são realizadas inspeções periódicas de campo. Nessas


inspeções, possíveis anomalias associadas aos modos de falha de
estruturas geotécnicas são detectadas. Os resultados são analisados
por especialistas e compilados em relatórios, que são,
posteriormente, verificados por empresas especializadas em
geotecnia de barragens.
 Equipamentos e tecnologias que
fazem o monitoramento
Acelerômetros

 São instrumentos utilizados para


monitoramento de vibração no solo.
 Drone
 Auxilia nas inspeções em áreas de difícil acesso.

 Estação Meteorológica
 É composta por equipamentos que medem índices
pluviométricos, temperatura do ar, umidade, pressão,
velocidade e direção do vento.

 Estação Robótica
 É composta por equipamentos que fazem, com precisão, o
monitoramento de deslocamentos horizontais e verticais.
 Inclinômetros
 Medem deformações e deslocamentos horizontais abaixo da
superfície do solo.

 Inspeções visuais
 Detalham as condições de segurança, utilizando o sistema
Geo Inspector para registrar as informações.

 Medidores de vazão
São instrumentos que medem o volume de água na saída da
Barragem.
 Piezômetros
 Monitoram o nível de pressão interna no interior das
barragens.

 Radar
 Seis radares de monitoramento identificam variações mínimas
de deslocamentos nas superfícies das barragens.

 Satélites (InSAR)
 Monitoram deslocamentos por meio de radares instalados em
satélites.