Vous êtes sur la page 1sur 12

Escola Superior de Ciências Náuticas

Departamento de Máquinas
Engenharia de Máquinas Marítimas

Geradores de vapor e turbinas l


Tema: Principais causas dos acidentes com GVs

Discentes: Docente:
Durão sebastião Engo Felizardo Chemane
Florêncio
Gyane Uasse Homo
Idicio Francisco
Olga César
Zanucha Isac 1
1. Introdução

• Durante o presente trabalho, vai se debruçar


sobre um tema de extrema importância para
curso de Engenharia de Maquinas Marítimas
que são as principais causas dos acidentes
com GVs, irá se identificar as causas técnicas
e as humanas o que vai ajudar no combate
contra os mesmos no campo serviço dos
cadetes. 2
2. Limitação do trabalho

• O presente trabalho está restrito em falar das


principais causas dos acidentes com
geradores de vapor do tipo aquatubulares e
flamutubulares.

3
3. Objectivos

3.1 Objectivo geral

 Descrever as principais causas dos acidentes com


geradores de vapor.

3.2 Objectivos especificos

 Falar das causas de acidentes originados por


deficiências do equipamento nos GVs.

 Identificar causas humanas que repercutem para


ocorrência de acidentes nos GVs
4
4. Metodologia

• O presente trabalho foi elaborado tendo


como base consultas em obras bibliográficas
de diversos autores, incluindo dissertações de
final de curso disponíveis em plataformas
virtuais com vista a trazer conhecimentos
com arbitragem científica verdadeiros e
confiáveis.

5
5. Acidentes originadas por deficiências do
equipamento
• Defeito da válvula de alívio da pressão: A válvula de alívio
controla a quantidade de pressão interna gerada pelo equipamento
aliviando a pressão quando atingir certos níveis, impedindo assim
o acumulo excessivo de vapor. A pressão do vapor em uma
caldeira é função directa da quantidade de energia disponível na
fornalha pela queima do combustível e que é transmitida à água.
O aumento da pressão interior da caldeira pode dar origem a uma
explosão.

6
5. Acidentes originadas por deficiências do
equipamento
• O superaquecimento como causa de explosões:
Quando o aço com que é construída a caldeira é
submetido, em alguma parte, à temperaturas maiores
àquelas admissíveis, ocorre redução da resistência do
aço e aumenta o risco de explosão.

• Corrosão como causa de explosões: A corrosão


constitui um dos mais importantes factores de
deterioração de caldeiras. 7
5. Acidentes originadas por deficiências do
equipamento
• Prolongamentos excessivos dos tubos: Ocorre com
frequência nas caldeiras fumotubulares, em que tubos
expandidos nos espelhos são deixados com
comprimento excessivo para dentro das câmaras de
reversão. Esses prolongamentos exagerados prejudicam
a reversão de fluxo dos gases quentes, determinando
pontos de superaquecimento, cuja consequência é o
aparecimento de fissuras nos tubos e/ou nas regiões
8
entre furos dos espelhos.
5. Acidentes originadas por deficiências do
equipamento
• Queimadores mal posicionados: As chamas de
queimadores podem atingir valores de temperatura de
até 1000 °C, de modo que o mau posicionamento do
queimador pode determinar a incidência directa da
chama sobre alguma superfície, propiciando o
superaquecimento e a fluência do material. A
consequência disso pode ser a deformação lenta e
gradual da caldeira ou a explosão eminente. 9
6. Causas humanas dos acidentes em GVs

6.1 Falta de controlo dos níveis de água: Quando a água


cai abaixo do nível da fornalha, causa um
superaquecimento e, ocasionalmente, queima na câmara de
água.

6.2 Defeitos no processo de soldadura: falhas em juntas


soldadas aumentam os riscos de acidentes nas caldeiras,
pois representam regiões de menor resistência do metal.

10
7. Conclusão

• Chegado a recta final do presente trabalho, conclui-se que as

principais causas dos acidentes com geradores de vapor podem

ser de duas naturezas distintas, técnica, são aquelas que ocorrem

devido a condições inseguras desenvolvidas ao longo do uso ou

inseridas no equipamento ou componentes, como exemplo

defeito da válvula de alívio, corrosão, superaquecimento etc. e

humanas quando o operário está fadigado faltando controlo dos


11
níveis de água, defeito no processo de soldadura.
8. Referências bibliográficas

• ALMEIDA, Marcio Tadeu de. Manutenção preditiva: benefícios e


lucratividade. Escola Federal de Engenharia de Itajubá, MG. Disponível em
<http://www.mtaev.com.br/download/mnt2.pdf>. Acesso em 14/07/2013.

• ALTAFINI, Carlos R. Curso de engenharia mecânica – disciplina de máquinas


térmicas – apostila sobre caldeiras – Universidade de Caxias do Sul, 2002.

• BAZZO, Edson. Geração de vapor. Florianópolis: UFSC, 1992

• Disponível em
<http://www.segurancaetrabalho.com.br/download/caldeirasapostila.pdf>.Aces
so em 10/8/2013.

12