Vous êtes sur la page 1sur 46

A REFORMA RELIGIOSA

REFORMA RELIGIOSA
“Só a Fé Salva.”
Martinho Lutero

“Deus criou vasos para a salvação e vasos para a


danação eterna. Se a Mão de Deus estiver sobre a
tua cabeça tu será beneficiado aqui na terra com
muita saúde e prosperidade. Por este indício
compreenderás que estás predestinado à salvação.”
João Calvino
A REFORMA RELIGIOSA

Durante o seu
papado surgiu o
movimento
reformista, que
levaria à divisão
do Cristianismo na
Europa.
Papa leão X, em
pintura de Rafael
Sanzio.
A REFORMA RELIGIOSA

• Definição: Movimento de fiéis insatisfeitos


com a Igreja Católica, dando origem a novas
religiões cristãs e as mudanças na Igreja
Católica (Contra-Reforma);

• Quando: final do século XV e início do XVI;

• Onde: Alemanha, Suíça, França, Inglaterra e


Escócia, principalmente.
A REFORMA RELIGIOSA
• Antecedentes/Causas:
• Insatisfação dos reis e dos nobres: altos
tributos cobrados pela Igreja e disputa de poder
entre o rei e a Igreja.
• Descontentamento da burguesia:
Condenação do lucro pela Igreja (usura).
• Questões teológicas: O livre-arbítrio (São
Tomás de Aquino) e a teologia da predestinação
e da fé. (Santo Agostinho). Leitura e
interpretação da Bíblia restrita à Igreja (língua
oficial Latim).
A REFORMA RELIGIOSA
• Corrupção moral:
– venda de indulgências (perdão,
misericórdia);
– venda de relíquias sagradas;
– venda de cargos no clero.
• 5. Corrupção do clero – simonia.
• 6. Ignorância religiosa dos padres e novas
interpretações da Bíblia.
• 7. Renascimento – antropocentrismo.
A REFORMA RELIGIOSA

• Precursores:
(Os primeiros a defenderem a idéia de
mudanças na Igreja.)
1. John Wyclif (1324? – 1384): Teólogo
inglês, professor da Universidade de
Oxford e reformador religioso.
Trabalhou na primeira tradução da
Bíblia para o idioma inglês, a Bíblia
de Wyclif.
– Condenou a venda de indulgência,
defendeu a formação de uma
Igreja nacional e a leitura da Bíblia
Início do Evangelho de João, em uma cópia da pelos fiéis.
tradução pra o inglês da Bíblia de Wyclif.
(Wikipédia)
A REFORMA RELIGIOSA

2. Jan Hus (1369-1415), nasceu


em Husinec (próximo de
Praga, República Tcheca,
atualmente). Professor da
Universidade de Praga,
teólogo e reformador,
seguidor das idéias de John
Wyclif. Foi queimado vivo
em 1415, acusado de
heresia.
- Denunciou os abusos da
Igreja e pregava uma
atitude exemplar. Jan Husinecky (checo)– Johannes
de Hussinetz (Latim) – John Huss
(Inglês)
A REFORMA RELIGIOSA
REFORMA ONDE MOTIVAÇÕES/OBJETIVOS
LUTERANA/ Norte da Apoio dos príncipes feudais:
Lutero Alemanha e 1. pretexto para tomar os bens do clero;
países 2. impedir o domínio do rei espanhol-católico
Escandina-vos Carlos V.

ANABATISTA Alemanha Revolta camponesa antifeudal.


/ Thomas - Bíblia como defensora do comunismo primitivo.
Münzer - Massacrados pelos príncipes feudais.

CALVINISTA/ Suíça, - Igreja Católica condenava os lucros burgueses.


Calvino Inglaterra, - Calvino defendia o trabalho duro e a
Holanda, acumulação de capital.
França.

ANGLICANA Inglaterra - Reforço do absolutismo inglês. O divórcio com


/Henrique Catarina de Aragão foi o pretexto para romper
VIII com o papa e com a Espanha.
A REFORMA RELIGIOSA
A REFORMA RELIGIOSA

REFORMA
LUTERANA
A REFORMA RELIGIOSA

Venda de indulgências
A REFORMA RELIGIOSA

• Martinho Lutero (1483-


1546), alemão, estudou
Direito e Teologia, monge
agostiniano, rebela-se contra
as atitudes da Igreja.
• Em 1517 a Igreja cobrava as
indulgências para erguer a
Basílica de São Pedro
(Roma).
• Revoltado fixou na porta da
igreja local um texto com suas
95 Teses, criticando
ferozmente a troca das
penitências por dinheiro.
A REFORMA RELIGIOSA

• Iniciava-se, assim, a longa


discussão entre Lutero e
as autoridades católicas,
que terminou com a
decretação de sua
excomunhão.
• O imperador Carlos V
convocou uma
assembléia – Dieta de
Worms – na qual Lutero Porta da Igreja do Castelo
foi considerado herege. de Wittenberg, onde Lutero
afixou as 95 teses, em 31 de
outubro de 1517
A REFORMA RELIGIOSA

Lutero na Dieta de Worms


A REFORMA RELIGIOSA

• Uma Cruz, um Coração, uma Rosa


Messiânica, um Fundo Azul e um
Anel Dourado formam o BRASÃO
DE LUTERO.
O coração se apega a Cristo, centro
da fé e da vida cristã. A fé se
reflete em alegria, consolação, paz
e esperança, aguardando a
realização das promessas de
felicidade sem fim, que ainda serão
cumpridas.
A ROSA DE LUTERO tornou-se um
símbolo visual da REFORMA e do
LUTERANISMO.
A REFORMA RELIGIOSA
- Carlos V, Imperador do Sacro
Império Romano, tentou
submeter os seguidores de
Lutero, que protestaram.
Vem daí o nome de
protestantes.
- É excomungado e
condenado a morte –
protegido em castelo de
nobre alemão, Frederich da
Saxônia.
Carlos V
- 1530 - redigida a Confissão
de Augsburgo.
A REFORMA RELIGIOSA

Princípios básicos do luteranismo:


– Salvação pela fé;
– Leitura e livre interpretação da Bíblia;
– Eliminação de santos e imagens, fim do celibato
para sacerdotes,
– Não seguimento da autoridade papal;
– 2 sacramentos (batismo e eucaristia),
– Submissão da Igreja ao Estado.
– Utilização do alemão nos cultos religiosos;
– Negação da transubstanciação;
A REFORMA RELIGIOSA

Destruição de imagens pelos protestantes num templo católico. No


começo da Reforma, protestantes e católicos eram muito
intolerantes e violentos.
A REFORMA RELIGIOSA

• Subordinação da Igreja
ao Estado – revolta
camponesa dos
anabatistas (Thomas
Münzer);
• Lutero condenou os
anabatistas e repeliu a
burguesia.
• 1529 – Dieta de Spira;
Gravura alemã da época
• Guerras religiosas – mostra os padres e os monges:
término 1555 (Paz de corruptos, mulherengos e
Augsburgo) ligados ao demônio.
A REFORMA RELIGIOSA

Triunfo da Morte, Pieter Brueghel. A angústia da perseguição


contra os reformistas.
A REFORMA RELIGIOSA

REFORMA
ANABATISTA
A REFORMA RELIGIOSA

• Também conhecidos como


reformadores radicais.
• Thomas Münzer pregou uma
interpretação diferente da
Bíblia: afirmou que o
Cristianismo era uma doutrina
para os humilhados da Terra,
criticou a exploração feudal e
pregava o Anabatismo - o
batismo só deveria ser feito em
adultos conscientes,e que todos
os bens deveriam ser distribuídos
igualmente para todos.
A REFORMA RELIGIOSA

O movimento foi abafado pelos burgueses com o apoio


de Lutero. Thomas e seus seguidores foram capturados
e decapitados.
Princípios anabatistas:
• Volta ao ideal da igreja primitiva.
• Separação entre igreja e estado.
• Batismo de adultos, por imersão.
• Afastamento do mundo material.
• Fraternidade e igualdade.
• Pacifismo: proibição de porte de armas e serviço
militar.
• Vida comunitária em colônias agrícolas.
A REFORMA RELIGIOSA

REFORMA
CALVINISTA
A REFORMA RELIGIOSA

• João Ítalo Calvino: francês,


estudou Direito e Teologia
influenciado por Lutero,
radicado na Suíça, onde já
se desenvolvia um
movimento reformista de
Ulrich Zwinglio.
• Esta segunda expressão
histórica do protestantismo
ficou conhecida como
Calvino condenou o teatro e
dança. Mas aprovou a “movimento reformado.”
cobrança de juros.
A REFORMA RELIGIOSA

Princípios Calvinistas:
• A soberania de Deus na criação, providência e
redenção.
• O estudo sério e criterioso das Escrituras.
• A importância da educação, para os pastores e os
crentes em geral.
• Governo representativo através de presbíteros e
concílios.
• Nega a interferência do Papa em assuntos
políticos;
• Salvação pela fé;
A REFORMA RELIGIOSA

• Teoria da Predestinação Absoluta (trabalho,


pureza, cumprimento de deveres e progresso
econômico = sinais divinos).
• Apoio da burguesia, pois apoiava os seus ideais.
• Na Inglaterra = Puritanos;
• Na França = Hunguenotes;
• Na Escócia = Presbiterianos (John Knox)
“O trabalhador é o que mais se assemelha a Deus... Um
homem que não quer trabalhar não deve comer... o
pobre é suspeito de preguiça, o que constitui uma injúria
a Deus. O trabalho e o lucro devem ser encorajados, os
prazeres e os gastos, condenados.”
(Jean Calvino)
A REFORMA RELIGIOSA

REFORMA
ANGLICANA
A REFORMA RELIGIOSA

O Anglicanismo - Inglaterra
– Atrito entre o rei da Inglaterra e o
papa.
Henrique VIII (ING) X Clemente VII
(Papa).
- Negação do papa para o rei conseguir
anulação de seu casamento com Catarina
de Aragão para casar-se com Ana Bolena.
- Interesse do rei em terras eclesiásticas.
- Ato de Supremacia: criou a Igreja
Anglicana com conteúdo protestante
calvinista e ritual católico.
A REFORMA RELIGIOSA

Esposas de Henrique VIII


A REFORMA RELIGIOSA

– Terras da Igreja confiscadas e vendidas aos nobres


(fortalecimento político do rei).
– Culto e hierarquia semelhantes ao catolicismo.
– Autoridade do papa não é aceita e latim é
abolido dos cultos.
– Fusão de elementos católicos com elementos
calvinistas.
– Reinado de Elizbeth I (1558-1603) através da Lei
dos 39 artigos é que o anglicanismo se consolidou.
A REFORMA RELIGIOSA

REFORMA
CATÓLICA
A REFORMA RELIGIOSA
A REFORMA RELIGIOSA
A REFORMA RELIGIOSA

• A Contra Reforma ou Reforma Católica:


– Medidas da Igreja Católica para conter o avanço protestante na Europa.
– O Concílio de Trento: abriu caminho para o início da Contra-reforma.
A REFORMA RELIGIOSA
– Não proibiu a vendas de indulgências e cargos do alto
clero;
– Estudos nos seminários antes de serem ordenados;
– Salvação pela fé e pelas boas obras;
– Celibato clerical;
– Crença na transubstanciação;
– Indissolubilidade do casamento;
– Reafirmação dos dogmas do catolicismo
– Criação do INDEX;
– Reativação dos Tribunais do Santo Ofício (Santa
Inquisição);
– Companhia de Jesus (Inácio de Loyola - ESP): ordem dos
jesuítas, busca de novos fiéis (América), educação e
catequese;
A REFORMA RELIGIOSA

Foram os jesuítas, também conhecidos por inacianos, que


lideravam a ação cristã na América colonial.
A REFORMA RELIGIOSA
– Tribunais do Santo Ofício ou da Santa Inquisição:
tribunais religiosos que julgavam e condenavam “hereges”
ou “infiéis” (não católicos) com extrema violência. Atuaram
principalmente na ESP, POR e ITA.
A REFORMA RELIGIOSA
A REFORMA RELIGIOSA

Representação de
um "Auto-de-
fé" na Inquisição
Espanhola.
A REFORMA RELIGIOSA

Rituais da Inquisição
A REFORMA RELIGIOSA
A REFORMA RELIGIOSA
A REFORMA RELIGIOSA

Conseqüências da Reforma:
• Estímulo ao individualismo, à liberdade de
pensamento, na medida em que propôs opções
religiosas e livre exame da Bíblia;
• Declínio da doutrina do “justo preço” e maior
liberdade para o lucro e para a acumulação, o
que favoreceu o enriquecimento da burguesia.
• Estímulo ao radicalismo religioso, à perseguição
de minorias e às guerras de religião em vários
países.
A REFORMA RELIGIOSA

“A paz, se possível, mas


a verdade, a qualquer
preço.”
Martinho Lutero
A REFORMA RELIGIOSA