Vous êtes sur la page 1sur 32

Resíduos

Industriais
Conceito
Lixo Urbano X Resíduos Sólidos
Consideramos como lixo tudo aquilo que não queremos
mais e jogamos fora, ou seja, coisas que para nós são
inúteis, velhas e sem valor.
Já resíduo é qualquer forma de matéria ou substância,
nos estados sólido ou semi-sólido, que resultem de
atividade industrial, doméstica, hospitalar, comercial,
agrícola, de serviços, de varrição e de outras atividades
da comunidade, capaz de causar poluição ou
contaminação ambiental.
PNRS – Política Nacional de
Resíduos Sólidos
“As pessoas físicas ou jurídicas, de direito público
ou privado, responsáveis direta ou indiretamente,
pela geração de resíduos sólidos e as que
desenvolvam ações relacionadas à gestão
integrada ou ao gerenciamento de resíduos
sólidos.”

TODOS NÓS !!
O lixo não é apenas um problema
ambiental mas sim de saúde pública!
NR 25 - Resíduos Industriais
Definição

Entende-se como resíduos industriais aqueles


provenientes dos processos industriais, na forma sólida,
líquida ou gasosa ou combinação dessas, e que por suas
características físicas, químicas ou microbiológicas não
se assemelham aos resíduos domésticos, como cinzas,
lodos, óleos, materiais alcalinos ou ácidos, escórias,
poeiras, borras, substâncias lixiviadas e aqueles gerados
em equipamentos e instalações de controle de poluição,
bem como demais efluentes líquidos e emissões gasosas
contaminantes atmosféricos.
NR 25 - Resíduos Industriais
Obrigações da empresa

 Buscar a redução da geração de resíduos;


 Os resíduos industriais devem ter destino adequado;
 As medidas, métodos, equipamentos ou dispositivos
devem ser aprovados pelos órgãos competentes.
 Os resíduos devem ser adequadamente coletados,
acondicionados, armazenados, transportados,
tratados e encaminhados à adequada disposição final
pela empresa.
 Os trabalhadores envolvidos devem ser capacitados
pela empresa;
Classificação dos Resíduos
Classe I - Perigosos
Os Resíduos Perigosos são aqueles que apresentam
periculosidade, ou seja, podem acarretar em função de
suas propriedades físicas, químicas e infectocontagiosas,
riscos à saúde pública, provocando mortalidade,
incidência de doenças ou acentuando seus índices, riscos
ao meio ambiente, quando os resíduos forem
gerenciados de forma inadequada.

Características de Periculosidade:
• Inflamáveis; • Reativos; • Patogênicos.
• Corrosivos; • Tóxicos;
Classificação dos Resíduos
Inflamáveis
Classificação dos Resíduos
Corrosivos
Classificação dos Resíduos
Reativos
Classificação dos Resíduos
Tóxicos
Classificação dos Resíduos
Patogênicos
Classificação dos Resíduos
Classe II – Não Perigosos
Resíduo Classe IIA - Não Inertes - Aqueles que não se
enquadram nas classificações de resíduos perigosos ou de
resíduos inertes. Os resíduos não inertes podem ter
propriedades, tais como: biodegradabilidade, combustibilidade
ou solubilidade em água.
Classe IIB - Inertes - Quaisquer resíduos que, amostrados de
uma forma representativa, segundo a NBR 10.007, e submetidos
a contato estático ou dinâmico com água destilada ou
deionizada, à temperatura ambiente, conforme a NBR 10.006
não tiverem nenhum de seus constituintes solubilizados a
concentrações superiores aos padrões de potabilidade de água,
excetuando-se aspecto, cor, turbidez, dureza e sabor (anexo G).
Quanto lixo a humanidade
produz por dia?

Dados de 2008
Onde são gerados os resíduos?

Dados de 2008
O que fazer?

Sempre será a melhor solução, não produzir resíduos, portanto é importante


pensar antes de iniciar uma atividade, nos resíduos que serão gerados e
procurarmos formas alternativas para gerar a menor quantidade possível ou
se possível não gera-los.

Quando não for possível evitar a geração do resíduos, devemos procurar


outra utilidade para o mesmo, gerando o menor impacto ambiental possível.

Alguns materiais podem ser reprocessados e voltar para cadeia produtiva


na mesma função ou em função similar, reduzindo significativamente o
custo de produção e a utilização de recursos naturais.
A Gestão de Resíduos
As etapas do gerenciamento de resíduos

1. Segregar e identificar
2. Quantificar
3. Amostrar e classificar
4. Acondicionar e manusear
5. Valorizar
6. Buscar alternativas para destinação
7. Transportar

8. Destinar
Segregar e Identificar
Acondicionar e Manusear
A Coleta Seletiva
Identificação dos coletores
As cores utilizadas para a coleta seletiva foram pré-
estabelecidas na Resolução do CONAMA N° 275 de 25 de
Abril de 2001.
Como valorizar o resíduo?
Alguma operações utilizadas:

Prensagem;

Peneiramento;

Britagem;

Moagem;

Secagem
Como valorizar o resíduo?
Como valorizar o resíduo?
Como valorizar o resíduo?
Danos a equipamentos
Social
Econômico

O processo de reciclagem de
alumínio economiza 95% da energia
que é gasta quando se produz o
mesmo alumínio a partir do minério
de bauxita.
Econômico
A reciclagem de papel economiza matéria-prima (celulose).
A reciclagem de 1 kg de vidro quebrado (cacos) gera 1 kg de vidro
novo, economizando 1,3 kg de matérias-primas (minérios).
A cada 10% de utilização de cacos, há uma economia de 2,9% de
energia.
A reciclagem de lixo orgânico, por meio da compostagem, resulta
em adubo de excelente qualidade para a agricultura.
Agora sabemos a importância
dos Resíduos Industriais.
Precisamos encarar com vontade, nos
envolver verdadeiramente, para
somar e melhorar sempre.
Lembre-se, sem dedicação não existe
vitória.
Obrigado,

Glediston Bastos
glediston@interacaoresiduos.com.br
21 2258-8404
21 9433-5275