Vous êtes sur la page 1sur 32

Corrosão de metais por ferrugem...

Explosão de dinamites...

Formação de cavernas...
Queima do cigarro...

2
• A velocidade das reações químicas é estudada
pela Cinética Química;
• Velocidade = Rapidez  Relação entre o que
foi consumido/formado e o tempo transcorrido
para a reação: aA + bB  cC + dD
[ A] [ B] [C ] [ D] nREAG nPROD
vm     vm  
t t t t t t
Em termos de concentração Em termos de quantidade
de matéria
vm A vmB vmC vmD
   Relação entre velocidades
a b c d
3
Considere a equação abaixo:
N2 (g) + 3 H2 (g)  2 NH3 (g)
Sabendo que:[H2] inicial = 6 mol/L; [H2] final = 2 mol/L;
t = 20 min.
Responda:
a) Qual a velocidade média da reação?
Resposta: Como os dados referem-se ao H2
devemos calcular primeiramente sua velocidade:
[H2 ]  VH2= 2 - 6  VH2= - 4
VH2  20 20
t
VH2= - 0,2 mol/L min
Agora vamos calcular a velocidade média da reação.
VB VH2 0, 2
Vm   Vm   Vm 
b 3 3

Vm  0,07 mol/L min


b) qual a velocidade de formação do NH3?
VNH3 VNH3
Vm   0,07 
2 2
VNH3 = 0,14

VNH3= 0,14 mol/L min


A concentração dos A concentração dos
reagentes diminui produtos aumenta

Cinética Química 6
• Condições para ocorrência das reações:
• Afinidade entre os reagentes;
• Contato apropriado entre os reagentes.
Ocorre reação:

Complexo
Ativado
Não ocorre reação:
Complexo
Ativado

Cinética Química
7
• da frequência dos choques;
• da energia (violência) dos choques  colisões
eficazes;
• da orientação apropriada das moléculas.

Cinética Química 8
• Estado intermediário (de transição) entre
reagentes e produtos.
Reagentes  Complexo Ativado 
Produtos

Cinética Química 9
• Energia mínima necessária para que os
reagentes devem ter para a formação do
complexo ativado.

Energia de Ativação = Barreira


Cinética Química
Quanto maior a Ea, menor
será a velocidade

Reação endotérmica

Ea = ECA - EReag
Ea = Energia de ativação
ECA = Energia do complexo ativado
EReag = Energia dos reagentes

Cinética Química 11
• Quanto maior o número de colisões  Maior a velocidade.

• 1. Temperatura (T)

• 2. Superfície de contato (SC)

• 3. Concentração dos reagentes

• 4. Catalisador

12
Aumentado a temperatura, aumenta a energia cinética
das moléculas reagentes (grau de agitação das
moléculas), o que proporciona um aumento no número
de colisões e aumento do número de moléculas com
energia igual ou superior à energia de ativação,
aumentado a velocidade da reação.

Exemplo:
Lavar roupas em água fria (demora mais para retirar
manchas)
Lavar roupas em água quente (retira as manchas mais
rapidamente)
Aumentando a concentração (quantidade ou até
mesmo a pressão de um gás) estamos aumentando o
número de choques entre as partículas reagentes, o
que conseqüentemente aumenta a velocidade da
reação.

Exemplo:
Se você tomar 10 gotas de um analgésico e a dor de
cabeça não passar, o que você normalmente faz é
tomar mais 10 gotas. Você aumentou a concentração
de analgésico no seu organismo assim ele fará efeito
mais rápido.
Quanto maior a superfície de contato entre os
reagentes, ou seja, quanto mais
pulverizado/fragmentado maior o número de colisões
entre as partículas reagentes. Isso faz com que
aumente o número de colisões eficazes, aumentando a
velocidade da reação.

Exemplo:
40kg em forma de gravetos de madeira (queima mais
rápido)
40kg em forma de tora de madeira (queima mais lento)
Catalisador é uma espécie química que promove o
aumento da velocidade de uma reação através da
diminuição da energia de ativação. O catalisador
participa temporariamente do processo, formando com
os reagentes um complexo ativado menos energético.
Porém ao final da reação é completamente recuperado,
sem sofrer alteração na sua composição ou massa.

Ex.:
N2(g) + 3H2(g)  2NH3 ; V1
Fe(s)
N2(g) + 3H2(g) 2NH3 ; V2

Com certeza o V2 é maior que o V1, pois o ferro age


como catalisador na segunda reação.
17
• SO2(g) + ½ O2(g) →SO3(g) Ea=+ 240 KJ.mol-1
• sem catalisador
• Utilizando o NO2(g) como catalisador a Ea se reduz para 110
KJ/mol, tornado a reação extremamente mais rápida.
• Mecanismo da reação

• SO2 + NO2 →SO3 + NO E1 consumo do catalisador
• NO + ½ O2 → NO2 E2 regeneração do catalisador
• SO2 + ½ O2 →SO3 Equação global Ea= +110 KJ.mol-1
• O catalisador é uma substância que aumenta a
velocidade da reação, sem ser consumida
durante tal processo.
• Os catalisadores encontram caminhos
alternativos para a reação, envolvendo
menor energia.(diminuem a Ea, tornando-
a mais rápida).
• Somente aumentam a velocidades;
• Não são consumidos;
• Não iniciam reação, mas interferem nas que já
ocorreram sem sua presença;
• Podem ser usados em pequenas quantidades;
• Seus efeitos podem ser diminuídos pela
presença de “venenos de catálise”.
Catalisador e reagentes estão no mesmo
estado físico (possui apenas uma fase).

OH  ( aq)
2H2O2 (aq)  
 2H2O (l) + O2 (g)
Catalisador e reagentes se encontram em
estados físicos diferentes (possui duas ou
mais fases).

 
Ni( s )
C2H4 (g) + H2 (g) C2H6 (g)
Algumas reações que ocorrem rapidamente dentro do corpo
humano, demorariam muito tempo para ocorrer fora, isto porque no
corpo humano temos enzimas que são catalisadores.

A ação de uma enzima é altamente específica, ou seja, geralmente


cada enzima catalisa uma única reação.

A enzima maltase, por exemplo, catalisa apenas o processo de


transformação da maltose em glicose:

C12H22O11 (aq) + H2O 2 C6H12O6 (aq)


maltase
Outra reação que se não fosse a enzima ptialina (encontrada na
saliva) levaria dias para ocorrer é a decomposição do amido.
• Inibidor: é uma substância que retarda a
velocidade da reação.

• Veneno: é uma substância que anula o


efeito de um catalisador.
A influência da concentração dos reagentes
sobre a velocidade das reações foi enunciada
em 1864 pelos cientistas Cato Maximilian
Guldberg e Peter Waage, por meio da lei da
ação das massas.

“A velocidade de uma reação é diretamente


proporcional ao produto das concentrações
molares dos reagentes, elevadas a expoentes
determinados experimentalmente”.
Considere a reação genérica:
aA + bB  cC + dD

V=k [A]x [B] y

V = velocidade da reação;
k = constante da reação;
[A]; [B] = concentrações de A e B em mols/L;
x = ordem da reação em relação a A;
y= ordem da reação em relação a B;
x + y = ordem global da reação.
Dado a Reação elementar:

N2 (g) + 3 H2 (g)  2 NH3 (g)

Lei da velocidade:
V= k [N2] [H2]3
Ordem da reação: 1+3= 4 então
4ª ordem
Dado o mecanismo abaixo:

H2(g) + 2NO(g)  N2O(g) + H2O(l) (lenta)


H2(g) + N2O(g)  N2(g) + H2O(l) (rápida)
2H2(g)+2NO(g)N2(g)+2H2O(l) (equação global)

Então:
V = k [H2] [NO]2
• No estudo da cinética da reação 2NO(g) + 2H2(g) →
N2(g) + 2H2O(g), à temperatura de 800ºC, foram
obtidos os dados constantes da tabela abaixo:

Concentração Inicial (mol/L) Concentração Inicial (mol/L) Veloc. Inicial(mol/L.S)


NO H2

1x10-3 6x10-3 0,5x10-3

2x10-3 6x10-3 2x10-3

6 x10-3 1x10-3 3 x10-3

6 x10-3 2x10-3 6x10-3


Para a reação não-elementar:
H2O2 + 2I + 2H+ → 2H2O + I2

Foram obtidos os seguintes resultados:

A velocidade da reação depende apenas das


concentrações de H2O2 e I.
No estudo cinético de uma reação
foram obtidos os seguintes dados:

A expressão da velocidade pode ser


representada por :
V = k [HgCl2] . [C2O42-]2