Vous êtes sur la page 1sur 35

p 

p 
› A cor pode aumentar o processamento visual e cognitivo da
informação.
› Por exemplo, a cor pode
› ajudar a localizar,
› classificar
› associar imagens mostrando o relacionamento entre as
informações (ISO 9241-8)
¦  
› ¦  
 
  

›      
    
 


 

› 

  


  

 


!      






"



  

     
puriosidade:
Diferença entre Homens e Mulheres?
 
      p 
Î chamar atenção para informações e dados específicos;
Î identificar elementos de estruturas e processos;
Î mostrar realisticamente objetos naturais;
Î representar a estrutura lógica de idéias;
Î aumentar o apelo, credibilidade, memorabilidade e
compreensibidade;
Î reduzir erros de leitura e interpretação;
Î aumentar o número de dimensões para codificar dados;
Î mostrar qualidades e quantidades em um espaço limitado.
[
  

Î requer equipamentos de vídeo mais caros e complicados;


Î pode não levar em conta a visão deficiente para cor entre
alguns usuários (8% da população masculina);
Î podem causar fadiga visual e imagens posteriores induzida
por cores fortes;
Î pode contribuir para confusão visual dada a complexidade e a
potencialidade do fenômeno da cor;
› pode ter associações culturais e históricas negativas.
X   
› †o que diz respeito ao código de cores, é melhor ser
conservador. Apesar da regra de usar ´sete mais ou menos
duas coresµ, Marcus (1992) [6] recomenda usar o máximo de
´cinco mais ou menos duas coresµ, ou seja, de três a sete
cores distintas.
p 

› r!#$%

&    " 
  
  
'()    &   & 

 

› *+$,-¦
$

 
  &  

.  

 /
&   
   
 
 
    
 
 
  
   0 & 
    
   
  
1  2
p 
  
›  um termo que se usa para descrever que tão claro ou
escuro parece uma cor, e se refere à quantidade de luz
percebida. O brilho se pode definir como a quantidade de
"obscuridade" que tem uma cor, ou seja, representa o claro
ou escuro que é uma cor com respeito a sua cor padrão.
p 

› !#3+!45¦¦3$6#'6$7!7'
+  
 3
& 

 
  8

& 

 
  
( 1  
2
3

  
 

 
  $ 
  

 / 
  

›  

 
&  
!#3+!45¦¦3$6#'6$7!7'
p   p 
› O código de cores deve satisfazer o propósito de cada site. Estas não
devem estar associadas a mais do que um significado e devem respeitar
os seguintes estereótipos naturais no ocidente:
Î vermelho: perigo, atenção, calor e comandos de interrupção;
Î amarelo: cuidado, teste e lentidão;
Î verde: passagem livre, normalidade e segurança;
Î laranja: valor limite e radiação;
Î azul: frio, água, céu e calma;
Î cinzas, branco e azul: inatividade, neutralidade;
Î cores quentes: ação, resposta requerida e proximidade;
› cores frias: distância e informação de fundo.
p 
› !  
 
›  
    
&   
 
› 6(

&
 &  

  
 
 
3 
   
 
 


   
    
&  
      
    
*

›  

 &
› 3
   (




  (    
   

       
8   9
›  (         



  (

 
› 7 
       
  
/



   
›  0 
   
 
1 (
:2 
    ;
  
"   ;
 
› ! 
0<  *1¦
 ¦
 2
6&$;
&,&,
&

- 
 ) 

 
&= +
0
 

 
 

› ! 
    

  
&      
› > 0< 
  
  

  



 &  
 
 
0< 
› >   
 ? &  
  
 
    
› 6 


  8      
1
 2
› .         

8          
 
    @
@  
  (   1
 2
› ,
     

     
 
       
 
  
×

› 3  0 


   " 
   
     


 
0  

! 
0  
6
> ' 

 
 

&r )&
r   
!
 r
0
>
&

› ¦
& &  0< 


› >
       
 &
    
(
    

& 

› ¦     
  

  ¦
    0
   
@   @
› ¦
&   

  

  
   8 
 

 
  09


&   
 

  
>¦+'.3'6#''+$!

› ! 
&     


   
 
0
     

 

.  
! ,") 


 
!& # )
  

!  
  
&  
 

  
9  
  /
!   
   



      "
  
 @  @ 
  @
 @
!     
   
> 
 ) 
› 

 
 
  
   
/  
0< 
› )


(!0'
(
 
A
+
 
› 


 
 


    
$  
 
&@ &@9 '3!  @
@
>
  @ 0@9B
@  @

› !    ;  



     



  8 +A*
› r  


     
  


& 
 0( 
    

   ;
 
 

 
› r     
     
 9     
 


 0
! 

› ¦ 
    

   
›  
0

   & 

 
&
 )
 ¦> 

$0>
#
0>
= +
70
,
6  

+A*  &
 
0
   
   

(  0
›  
      
&  


  

   


" 

› 6      (   
 &  
) 

› ¦ 

 
 / &9
 0    
  

 
 
›   
0< ) 06 &



 ' 007 ;

$(
;
$"A?
/
 r
 
› !
      
   &   (  
  ;
 

› 3        
8
 


   (    
  "
    
!&

›   &   0



 >r' 


 ' 

 &
3
 
7 r 
¦ 
 
r

>  

› 
 
 C
    9 
 
   ( C

& 
  
›    8
 

› 
 
& 
  


   

       
 

  

  " 
  

 
9 
› ¦    8  
   
  & & 
8
  

&       9
›  
    ( 
   
 
› (   


    

 

  ( 
 




$ 

! 0< 

 
› ! 0< 
 &

    

   "

&  
        
› 
       
    

(
       &


› '(   
  

! 
        
 
 
 
› http://www.ifi.unicamp.br/~dfigueir/holosite/ilusao.htm
!r'rM+$!'!>¦+

› $    
 
ç1ú   
 

 2

     ó
     
 á(


   
 
› '
 
      



 
 

  
ç<    

      
› !ó
 

   
&    
   

      
 
› !         

@ 
 @         
     
     

    



9  
  ± 

› !  
 à é ç  (    
 á
'  
 
á   ç
   
 
› ) 
   (
 
( (
!&  

 
á  á 
*&
 

  

 


  
 &á

,"
 

"
6 
  
    
  
 

 
+  

á
"
)  & 

1 ç2
[


    


› !   í
 
  DE FE 
 ç  
  

;

ç 
› > R;
      
     
  
  
  çé   1 é
  (   2.
X  
    
p 
› ·sar no máximo sete e no mínimo três cores de maneira planejada para
cada tela. Por exemplo, cores diferentes para o menu, título, ilustrações,
mensagens de erro e fundo de tela. pomo a cor tem o poder de agrupar
por distinção, havendo muitas cores se perceberá vários grupos distintos
e dificultará na memorização. Segundo Marcus [MAR 92], apesar das
placas de vídeo atuais dispor de uma resolução com mais de 32 milhões
de cores, a mente humana só é capaz de discriminar 7,5 milhões de
cores.
› + 
 

ç à
 ?
 
ç
3 á
 
 

    
    
 
á
& 
    !
  ç  
   í
 
X  
    
p 
›  Imprimir simplicidade e clareza no esquema cromático. pores
brilhantes são adequadas para sinais de perigo, chamar a atenção para um
ponto, facilitando a memorização de elementos. Deve existir uma
hierarquia de cores, com áreas brilhantes, neutras e de baixa iluminação,
coerentes com a importância das informações.
›  ·sar combinações legíveis para textos ou figuras e fundos. As
combinações: preto-branco, amarelo-preto, branco-vermelho, preto-
amarelo, ciano-magenta, amarelo-marrom, cian-marrom, branco-preto,
verde-preto, verde-vermelho, preto-verde, branco-marrom, verde-
marrom, magenta-marrom; dispostas, respectivamente, texto e fundo,
são legíveis.
› †estas combinações cromáticas estão presentes considerações de
contraste, harmonia e anomalia.
X  
    
p 
›  ·sar cores similares para fundos de áreas que tenham relações
fortes entre si. Esta combinação cromática contribui para que o usuário
estabeleça relação conceitual entre as áreas, buscando harmonia e
agrupamento.

› >
  í
 í
  

  
 á
 

ç   3   í
 é
á   
 é 
  í 
  

 é 

 í &    
› ¦  
 á   DE   
'(

  é  á 

&
          


ç  (      G
 
› $    á
  

 í 
        "   

 ç
X  
    
p 
›  ponsiderar os níveis culturais e profissionais na codificação
cromática. As conotações das cores podem variar fortemente entre
culturas e entre profissões: em países asiáticos o branco denota luto; as
caixas de correio na Inglaterra são vermelhas e na Grécia, amarelas. 
importante considerar a cultura do usuário evitando más interpretações.

›  ponsiderar as variações interpessoais nos conceitos estéticos dos


usuários. †ão se pode agradar todos os usuários quanto ao esquema
cromático. Assim, é importante que o usuário possa atribuir cores aos
elementos da interface mediante suas necessidades e gosto.
X  
    
p 
›  ponsiderar restrições do ambiente e dos equipamentos na
codificação cromática.  importante saber que a iluminação do ambiente
pode interferir na percepção das cores. Além do ambiente o os
monitores de vídeo perdem sua capacidade de coloração com o uso
através do tempo.

›  Para as telas a serem impressas a cores, considerar as restrições


técnicas à reprodução das cores. Quando se deseja imprimir telas do
software deve-se considerar que a resolução dos monitores de vídeo é,
geralmente, maior que a das impressoras usadas. Assim, a qualidade de
impressão não será a mesma da tela.
X  
    
p 
› ponsiderar o contexto profissional na codificação
cromática. As conotações das cores podem ser
convencionadas. Por exemplo, vermelho: pare, perigo,
quente, fogo; amarelo: cuidado, vagaroso, teste; azul: frio,
água, tranqRilidade, gelo; cinza, branco e azul: discrição.