Vous êtes sur la page 1sur 10

R R

CONTABILIDADE DE CUSTOS
Analise e Gestão Estratégica dos Custos

|   |
 
ANÁLISE DA ALOCAÇÃO DE CUSTOS

1 - DEPARTAMENTALIZAÇÃO DOS CUSTOS


2 - CUSTOS E A CAPACIDADE PRODUTIVA
3 - CUSTOS COMUNS: CO-PRODUTOS E SUBPRODUTOS
4 - TRATAMENTO DAS PERDAS DE MATERIAIS
TRATAMENTO DAS PERDAS, SUBPRODUTOS
E SUCATAS

1 ± Perdas Normais e Anormais


2 ± Subprodutos
3 ± Sucatas
TRATAMENTO DAS PERDAS, SUBPRODUTOS
E SUCATAS
|     ± Durante o processo de fabricação, inúmeras
vezes, ocorre desperdícios de materiais, principalmente de matéria-primas.
Há dois tipos de perdas: as perdas normas e perdas anormais.
 |
 
  são inerentes ao próprio processo produtivo, são
previsíveis e já fazem parte da expectativa da empresa, constituindo-se
num sacrifício que ela sabe que precisa suportar para obter o produto. Elas
podem ocorrer em virtude de problemas na execução do processo produtivo,
podendo ser devido a problemas de corte, tratamento térmico, reações químicas,
evaporações, etc e, por serem inerentes à tecnologia da produção, fazem parte do
custo de produto elaborado. Por exemplo, se entrarmos com 10.000kg de materiais
e só forem aproveitados 9.300kg condições normais, será apropriado o valor total
dos 10.000kg. O custo do material perdido integra o custo dos produtos elaborados
ou serviços prestados.
 |
 
  ocorrem de forma involuntária e não representam
sacrifício premeditado, como é o caso de danificações extraordinárias de
materiais por degeneração, obsoletísmo, desabamento, incendio,etc.
TRATAMENTO DAS PERDAS, SUBPRODUTOS
E SUCATAS
A Perdas Anormais, por serem aleatórias e involuntárias, deixam de fazer parte do
Custo da Produção e são tratadas como Perdas do período, indo diretamente para o
resultado, sem se incorporarem aos produtos. Elas podem deixar de assim ser
tratados se o seu valor for pequeno e irrelevante não influindo na avaliação dos
estoques ou do resultado do exercício.
TRATAMENTO DAS PERDAS, SUBPRODUTOS
E SUCATAS

  ± São aqueles itens que, nascendo de forma normal durante
o processo produtivo, possuem mercado de venda relativamente estável,
tanto no que diz respeito à existência de compradores como quanto ao
preço. São itens que têm comercialização tão normal quanto os produtos
da empresa, mas que representam porção ínfima do faturamento total.
Tendo em vista se originarem de desperdícios e representarem uma
pequena parcela da receita, deixam de ser considerados produtos
propriamente ditos. Se fossem considerados produtos, precisariam receber
uma parcela dos custos da produção.Tal fato poderia gerar situações
ridículas como, por exemplo, custearmos aparas, limalhas, serragem ect.,
por isso é preferível a adoção do critério de nada lhes ser atribuído.
Face a isso, surge o problema de como avaliarmos os estoques de
subprodutos e de como contabilizarmos as vendas deles decorrentes.
TRATAMENTO DAS PERDAS, SUBPRODUTOS
E SUCATAS
O procedimento a ser adotado é considerar a receita da venda do
subproduto como redução do custo de produção da empresa. E, como
pode ocorrer do subproduto surgido em um período só ser vendido no
período seguinte, há a necessidade de se proceder a um acerto dos custos
do exercício para que não venha a ser reduzida a receita referente ao
exercício anterior. Assim, deveria os subprodutos surgidos em um exercício
ser deduzido no mesmo exercício.
Nesse caso, o que se pode fazer é estabelecer a técnica de proceder a
redução dos custos dos produtos considerando o valor de venda dos
subprodutos como a medida de se estabelecer o custo do estoque dos
próprios subprodutos. Suponhamos, por exemplo, que os custos de
produção de um determinado período tenha sido de $2.000.000 e que
tenha surgido de subprodutos cujo valor de venda é de $2.000,00, deveria
ser no abatido no custo, surgindo o estoque desse subproduto, como
segue:
TRATAMENTO DAS PERDAS, SUBPRODUTOS
E SUCATAS

        
 
Débito : Estoque de Subprodutos
Crédito: Custo de Produção 2.000,00
Ficando assim representados:
Custo de produção Estoque de Subprodutos
20.000.000 2.000 2.000
Quando da venda do subproduto será feito o lançamento:
Débito : Caixa ou Banco
Crédito: Estoque de Subprodutos
Caso haja diferença no valor da venda, este irá a resultado, pois trata-se
de valor muito insignificantes
TRATAMENTO DAS PERDAS, SUBPRODUTOS
E SUCATAS
O estoque de subprodutos, portanto, será avaliado pelo preço de venda e
não pelo custo.Este procedimento é aceito tendo em vista a irrelevância do
valor. E, os custos de produção passam, agora, para $19.998.000,00.
Assim, cada material transformado em subproduto deve ser considerado
como uma recuperação dos custos de produção. Caso o valor do
subprodutos a comecem a flutuar muito deve ser considerado como
sucata.
TRATAMENTO DAS PERDAS, SUBPRODUTOS
E SUCATAS
   são aqueles itens cuja venda é esporádica e realizada por valor não
previsível na data em que surgem na produção. Por isso, não recebem custos, como
também não têm sua eventual receita considerada como diminuição dos custos de
produção. Mesmo que existam em quantidades razoáveis na empresa, não aprecem
como estoque na Contabilidade. Quando ocorrer sua venda, têm sua receita
considerada como Outras Receitas Operacionais.