Vous êtes sur la page 1sur 17

REALIDADE VIRTUAL

E REALIDADE IMERSIVA
NA ARQUITETURA
Ferramentas de realidade virtual e imersiva
voltadas para arquitetura e urbanismo.

NOMES: RA:
Amanda Macedo 917119276
Andrezza Rodrigues 918106773 ARQUITETURA E URBANISMO
Ariane Castro 914121902 TURMA: 5ªB1/6ªA1 MEMORIAL - MANHÃ
Camila da Silva 917122824 DISCIPLINA: INFORMÁTICA AVANÇADA
Elaine Silva 917118165 PROFESSORES: ERIC FERNANDO TEIXEIRA ZOMPERO
Gabriel Monteiro 917121401 MARCUS VINICIUS PEREIRA
O QUE É?

Realidade virtual: Realidade imersiva:


É uma tecnologia de interface capaz de enganar os A realidade imersiva é quando o utilizador sente-se dentro
sentidos de um usuário, por meio de um do ambiente e a interagir com os seus elementos. Para
ambiente virtual, criado a partir de um sistema produzir esta sensação, o sistema tem de conseguir
estimulá-lo sensorialmente, utilizando diversos
computacional.
dispositivos, como: Capacete de visualização, Luvas de
dados...
HISTÓRIA
É muito difícil precisar exatamente quando a realidade virtual foi inventada. Esse conceito está no
imaginário há um bom tempo para descrever um ambiente que proporciona experiências fora da realidade.

Em 1838, o britânico Charles Em 1961, engenheiros da Philco Na década de 60, Morton Heilig
Wheatstone criou óculos criaram o Headsight, um projeto de criou o Sensorama, que
estereoscópicos que usavam estímulo visual e reconhecimento parecia um fliperama e trazia
espelhos na frente dos olhos com de objetos. A ideia era usar esse uma mistura de cadeira que se
uma pequena angulação na lente. sistema para mover uma câmera mexia, óculos com visor, alto-
remota, e ele foi usado até em falantes e até odores para
treinamentos militares e de voo. simular a experiência.
HISTÓRIA
A realidade virtual começou mesmo a sair dos laboratórios nos anos 90 e virou moda,
especialmente nos games. Mas fracassou no mercado.

Um dos projetos que se salvam dessa era é a empresa WorldViz, que começou a desenvolver plataformas e virou
uma gigante da área, com clientes que vão de universidades e da Philips até a NASA.

Apresentação da empresa WorldViz


Apresentação da empresa WorldViz
HISTÓRIA
Temos então um abismo entre os avanços do começo dos anos 2000 até agosto
de 2012.
Nesse mês, Palmer Luckey iniciou no Kickstarter o financiamento da primeira
versão do Oculus Rift.
A ideia dele era criar um display em forma de visor posicionado na cabeça do
jogador. Ele seria relativamente acessível e bem mais fácil de usar se comparado
a tudo que veio antes. O primeiro Development Kit foi financiado com sucesso e
começou a ser enviado em março de 2013. A partir daí, várias empresas deram
início à criação de jogos para realidade virtual no PC.

A concorrência cresceu. Outra das mais recentes revoluções na área


foi em 2013, com o Freefly VR. O grande diferencial desse headset
era a capacidade de usar no lugar do visor um smartphone
posicionado na horizontal, servindo de tela. Esse produto não foi tão
bem-sucedido assim, mas abriu as portas para muitos projetos
parecidos.

https://www.tecmundo.com.br/mercado/123579-a-historia-da-realidade-virtual.htm
INTRODUÇÃO NA ARQUITETURA

Nos últimos anos, a tendência da


realidade virtual ganhou
popularidade nos escritórios de
arquitetura. Isto porque é um
recurso que permite a
visualização de ambientes
prontos, antes de os projetos
saírem efetivamente do papel. É
como se alguém fizesse uma
visita aos cômodos de uma casa
antes de a construção sequer
começar.

https://www.vivadecora.com.br/pro/tecnologia/realidade-virtual-na-arquitetura/ https://www.youtube.com/watch?v=w7mlSiCwLe0&feature=youtu.be
INTRODUÇÃO NA ARQUITETURA

VR é a imersiva, uma experiência completa incluindo visão e audição. "Com a realidade virtual, você está imergindo
em um ambiente virtual e fechando-se completamente para o mundo exterior", afirma mottle. "Dependendo do
dispositivo você poderia utilizar a VR na escala de uma sala e 'caminhar' através do espaço." (E com as diretrizes do
seu mundo virtual, você não vai acidentalmente caminhar em direção à uma parede real.)
INTRODUÇÃO NA ARQUITETURA

Uso em diferentes etapas do projeto.

Um benefício da VR é que ela pode ser


processada em diferentes níveis de
detalhe (LOD), de modo que um arquiteto na
fase inicial de um de projeto poderia ter uma
experiência imersiva em uma sala não-
fotorrealista, apenas para obter uma sensação
de relações espaciais. O arquiteto pode também
fazer edições em tempo real, mudando pisos,
cores, teto e objetos para agradar e impressionar
o cliente. Ou a experiência poderia ser hiper-real,
de modo que um vídeo VR poderia ter a luz solar
suave entrando através de uma janela, com o
som dos pássaros cantando (em apresentações
para cliente).
INTRODUÇÃO NA ARQUITETURA
As ferramentas de RV (Realidade Virtual) consistem em 3
pilares:
• Conteúdo em 3D (projeto em si em 360º, renderizada em
alta definição)
• Óculos de realidade virtual
• Software ou aplicativo dedicado a este fim

O primeiro passo é construir o projeto em 360º. Depois disso,


é necessário usar uma plataforma, software ou aplicativo que
lerá este arquivo para que o arquiteto possa apresentá-lo a
um cliente ou à equipe.

Softwares dedicados:
• SentioVR
• Iris Prospect
• SmartReality

Os arquivos com os desenhos dos projetos podem ser feitos


em softwares de arquitetura como Sketchup, 3D Studio
Max, Revit, Promob, Rhino, Lumion, Maia e AutoCad, que
fazem parte da rotina de qualquer profissional de arquitetura.
Óculos de realidade virtual para arquitetura
As opções de óculos virtual na arquitetura não são fartas. Com tecnologia cara e muitas vezes
pouco acessíveis ao Brasil, os dispositivos não atendem a alta demanda que é condicionada à
oferta de aparelhos.

Os óculos mais utilizados atualmente são estes:


HoloLens

Desenvolvido pela Microsoft em 2013 e lançado só em 2016, o par de óculos


HoloLens deixa o usuário visualizar um ambiente virtual como se estivesse
dentro dele efetivamente.
O aparelho vem com o clicker, acessório equivalente ao mouse, que serve
para que o arquiteto mantenha a interação do conteúdo manualmente.

Oculus Rift

O aparelho permite imersão completa em ambientes, dando a impressão


real de estar visitando cômodos e podendo inclusive interagir com eles. O
arquiteto pode fazer edições em tempo real, mudando pisos, cores, teto e
objetos para agradar e impressionar o cliente.
O par de óculos vem com um controle remoto que permite ao usuário
visitar um ambiente de cada vez, deixando o cliente por dentro de partes
individuais de um projeto.
VANTAGENS DESVANTAGENS
• Aumenta a percepção de valor do projeto (por • As opções de óculos virtual na
parte do cliente) arquitetura não são fartas.
• Facilita a apresentação colocando os clientes • Tecnologia cara e muitas vezes pouco
dentro do ambiente acessíveis ao Brasil.
• Dá ao cliente a possibilidade de “entrar” no • Dispositivos não atendem a alta
ambiente virtual, antes mesmo da execução da demanda que é condicionada à oferta de
obra aparelhos.
• Faz com que os clientes compreendam melhor
cada detalhe do projeto
• Reduz o tempo de aprovação dos projetos
• Permite criar apresentações interativas
DEPOIMENTOS
A Expo é uma das principais feiras de negócios de Jaraguá do Sul, SC. Nessa edição de 2015, em conjunto
com a WeArt, a Imersio apresentou uma série de tours virtuais 360° aos visitantes da feira.

Os clientes aprovam a visita aos imóveis


através da Realidade Virtual.
A VR ESTÁ LIGADA À INDÚSTRIA DA
ARQUITETURA

• A VR requer uma quantidade justa de especialização e é um desafio para os arquitetos


encontrar tempo de trabalho para experimentar e testar esta tecnologia.
• Algumas empresas já estão traduzindo dados BIM em VR com plataformas como
Autodesk LIVE e Stingray, mantendo importantes dados de construção que outros
sistemas de jogos não capturam.
• Quanto mais arquitetos se envolvem com a VR, mais eles podem moldar o
mercado futuro.
BIM E SOFTWARES UTILIZADOS
O QUE É?

(Building Information Modeling ou


Modelagem da Informação da Construção)
“Representação digital das características
físicas e funcionais de uma edificação, que
contém todas informações do ciclo de vida
da construção, disponíveis em projeto.”

BIM é muito mais amplo que visualização 3D ou um software,


ele é um novo conceito para construção civil, que agrega
empoderamento ao projeto e facilita todo o fluxo de execução e
gestão da obra.
BIM E SOFTWARES UTILIZADOS

QUAL FINALIDADE? SOFTWARES VINCULADOS

BIM garante uma percepção antecipada das • ArchiCAD


possíveis interferências e situações de • Bentley Architecture
manutenção comuns durante o ciclo de vida da • Revit Architecture
obra, ampliando a importância e usabilidade do • Vectorworks Architect
projeto e consequentemente, reduzindo as chances
de improvisação e o tempo gasto na execução da
obra, melhorando o desempenho e garantindo que
o cronograma e orçamento previstos sejam
respeitados.
BIM E SOFTWARES UTILIZADOS

VANTAGENS DESVANTAGENS

• Possibilita a participação de todos • Falta de profissionais qualificados


envolvidos no projeto • Incompatibilidade com parceiros de
• Redução de gastos desnecessário por projetos, nem todas as empresas
erros de projetos possuem essa plataforma implantada
• Desenhos e cálculos integrados num só
lugar
• Evita a duplicidade de informação nos
bancos de dados
BIBLIOGRAFIA

• https://www.archdaily.com.br/br/878548/os-5-melhores-aplicativos-de-realidade-
virtual-e-realidade-aumentada-para-arquitetos
• https://imersiovr.wordpress.com/2018/09/04/como-usar-a-realidade-virtual-na-
apresentacao-de-projetos-de-arquitetura/
• https://medium.com/futuro-exponencial/entenda-a-diferen%C3%A7a-entre-
realidade-virtual-aumentada-e-mista-bf250e7b996
• https://www.archdaily.com.br/br/802736/quatro-dicas-para-comecar-a-usar-
realidade-virtual-na-arquitetura
• https://www.tecmundo.com.br/mercado/123579-a-historia-da-realidade-virtual.htm
• https://archtrends.com/blog/realidade-virtual-na-arquitetura/