Vous êtes sur la page 1sur 36

RISCOS QUÍMICOS

&

ESTUDO DE CASO
Tipos de Acidentes com Produtos Químicos
Ficha de Informações de Segurança para Produtos Químicos (FISPQ)
Símbolos – Informações sobre Produtos Químicos
Informação de Riscos (Termos R)
Informação de Segurança (Termos S)
Informações – Rótulos
Produtos
Químicos
Informações – Rótulos Produtos
Químicos
Códigos Produtos Químicos – Números e Cores
“Famílias” de Produtos Químicos – Números e Cores
1 ÁLCOOIS GLICÓIS
“Famílias” de Produtos Químicos – Números e Cores
Incompatibilidade entre Produtos Químicos

Substância Incompatibilidade
Abordagem Inicial
das intoxicações:
Síndromes
Toxicológicas:
Efeito das
Toxinas:
Medidas de Primeiros Socorros
CAPELA PARA MANIPULAÇÃO DE
PRODUTOS QUÍMICOS
RISCOS QUÍMICOS - ESTUDO DE CASO
OBJETIVOS

■ Avaliar o risco ocupacional a que estão sujeitos os técnicos de


laboratório de análises clínicas e outros profissionais que usam o
produto químico XILOL (solvente orgânico) e avaliar o risco ambiental
relacionado ao descarte inadequado desse produto;
INTRODUÇÃO
■ Fatores que devem ser avaliados quando da exposição a um determinado
produto químico: 1) agente químico em questão; 2) a concentração do
agente químico; 3) a frequência e duração da exposição; 4) práticas e
hábitos laborais e 5) a suscetibilidade individual;
■ O xilol é um produto largamente usado como solvente nas indústrias de
produtos farmacêuticos, indústria de tintas, vernizes e corantes, na
indústria do plástico e do petróleo e também na área de análises clínicas e
laboratoriais;
■ É um composto orgânico volátil capaz de provocar dores de cabeça,
tosses, perda de memória a curto prazo, atinge o sistema nervoso central
(depressão), irritação ocular, dermatites;
INTRODUÇÃO
■ Foi enquadrado pelo CONAMA, através da Resolução no 358/2005,
como um produto químico do grupo B, capaz de colocar em risco a
saúde pública ou o meio ambiente;
■ Nos laboratórios de citologia e anatomia patológica o xilol é utilizado
para clareamento e diafanização dos tecidos, deixando-os translúcidos;
INTRODUÇÃO
■ O metabólito que funciona como marcador da presença de xilol no
organismo (urina) é o ácido metilhipúrico, segundo orientação da NR
no 15 (Atividades e Operações Insalubres);
Tabela constante da NR no 15 – Atividades e Operações Insalubres
METODOLOGIA
■ Foram pesquisados oito laboratórios (6 públicos e 2 privados) de
citologia e anatomia patológica de Pernambuco;
■ Avaliação foi realizada entre os anos de 2005 a 2006;
■ Em média (somando os 8 laboratórios) são realizados cerca de 5.000
exames por mês;
■ A pesquisa envolveu no total 30 funcionários dos laboratórios
pesquisados;
■ A coleta de informação foi realizada com base em questionários auto-
aplicados de múltipla escolha aos técnicos dos laboratórios
selecionados;
■ Temáticas dos questionários: saúde ocupacional, percepção dos
riscos na manipulação do produto e descarte de resíduos;
METODOLOGIA
■ Pontos Investigados:

 Tempo de serviço e carga horária diária;


 Condutas individuais no desempenho das atividades em algumas
situações através das seguintes proposições:
■ Uso de EPIs e EPC;
■ Orientação para trabalhar com xilol;
■ Conhecimento prévio para trabalhar com xilol;
■ Conhecimento prévio das normas de manipulação do xilol;
 Monitoramento periódico da saúde;
 Descarte dos resíduos.
RESULTADOS
RESULTADOS
RESULTADOS
RESULTADOS
RESULTADOS
RESULTADOS
RESULTADOS
■ 80% dos técnicos notaram mudanças gerais na saúde após alguns
anos de utilização do xilol;
■ Apenas 6,6% dos técnicos fazem controle anual da presença de xilol
no organismo através da dosagem do ácido metilhipúrico na urina;
■ 76,6% dos técnicos fazem o descarte do resíduo de xilol diretamente
na pia e apontam que não há um local específico para descarte nos
laboratórios;
■ O uso de EPIs e EPC estão sendo negligenciados;
CONCLUSÕES
■ Os sintomas apresentados pelos técnicos que manipulam o xilol
coincidem com os descritos na literatura para manipulação do xilol;
■ Há necessidade de realização periódica de exames médicos
(monitorização biológica de exposição) para identificação dos agravos
à saúde dos técnicos e estabelecimento de estratégias de prevenção;
■ Há necessidade de fornecimento de EPIs e instalação de EPC
adequados para realização do trabalho, bem como treinamento dos
técnicos na utilização dos equipamentos;
■ Há negligência também com relação ao descarte dos resíduos tóxicos
o que provavelmente impacta os corpos hídricos da cidade;
RECOMENDAÇÕES
■ As luvas para manipulação do xilol são luvas especiais, resistentes a
ação corrosiva do produto;
■ As máscaras para manuseio do xilol devem ser específicas para
vapores orgânicos, máscaras cirúrgicas descartáveis não funcionam;
■ Necessidade de utilização de óculos de proteção durante a
manipulação do produto;
■ O resíduo do xilol deve ser armazenado em recipiente adequado e
posteriormente esse resíduo deve ser encaminhado para incineração;