Vous êtes sur la page 1sur 23

Fundamentos de

Macroeconomia
O Médio Prazo
O Mercado de
Trabalho – parte 2
Neste tópico...
1. Um passeio pelo mercado de trabalho

2. Fluxo de trabalhadores e a trajetória do desemprego

3. Determinação dos salários

4. Determinação de preços

5. Salários reais de equilíbrio e o desemprego

6. A relação Desemprego, Emprego e Produto


Determinação de preços
Para entender como um produto tem seu preço determinado, precisamos
entender como as firmas maximizam lucros.

E a primeira relação que temos que ter em mente é a função de


produção:
 relação entre insumos utilizados na produção e quantidade de
produtos fabricados.
Determinação de preços

 Suposições:
 Força de trabalho como único fator de produção - a função de
produção pode ser representada por:
Y  AN
Y = produto
N = emprego
A = produtividade do trabalho (ou produto por trabalhador)

1/A = input de trabalho por unidade de produto



W/A = custo de produção por unidade de produto
Determinação de preços

 As firmas fixam seu preço de acordo com:

P  1   
W
A
onde  é a margem de lucro do preço sobre o custo de produção.

 Se os mercados de bens fossem perfeitamente competitivos,  = 0, e


P = W/A.
Neste tópico...
1. Um passeio pelo mercado de trabalho

2. Fluxo de trabalhadores e a trajetória do desemprego

3. Determinação dos salários

4. Determinação de preços

5. Salários reais de equilíbrio e o desemprego

6. A relação Desemprego, Emprego e Produto


Neste tópico...
1. Um passeio pelo mercado de trabalho

2. Fluxo de trabalhadores e a trajetória do desemprego

3. Determinação dos salários

4. Determinação de preços

5. Salários reais de equilíbrio e o desemprego

6. A relação Desemprego, Emprego e Produto


A taxa natural de desemprego
Para determinar a taxa de desemprego, precisamos examinar as
implicações da determinação de salários e preços.

 Em equilíbrio, Pe = P: ou seja, o equilíbrio ocorre quando o preço


esperado (Pe) é igual ao preço realizado (P).

 Desemprego: a fixação de salários e de preços determinam a taxa


de desemprego de equilíbrio
A relação de determinação dos salários
Antes de derivarmos a relação de salários, pergunte-se: quem os
determina? Formulamos que o salário nominal era determinado por:

W  P e F (u, z)
(  , )
Agora, como Pe = P, então:
W  PF (u, z)

Dividindo ambos lados por P, então:


W relação de
 F ( u, z ) determinação
P (  , )
dos salários
A relação de determinação de preços
E quem determina preços? A equação de formação dos preços é:

P  1   
W
A
Se dividirmos ambos lados por W, obtemos:
P 1   

W A
Ou expressa em termos do salário real:
W A relação de

P 1   
determinação
dos preços
Salários reais de equilíbrio e desemprego

A taxa natural de
desemprego é a
taxa de desemprego
tal que o salário real
escolhido na A

determinação do
salário seja igual ao
salário real implícito
na fixação do preço.
Salários reais de equilíbrio e desemprego

Eliminando W/P das


relações de determinação
do salário e do preço,
obtemos a taxa de A

desemprego de equilíbrio,
ou taxa natural de
desemprego, un:

F un , z  
A
1   
Salários reais de equilíbrio e desemprego

Auxílios-desemprego e a
taxa natural de
desemprego
A

Um aumento no auxílio-
desemprego leva a um
aumento da taxa natural
desemprego.
Salários reais de equilíbrio e desemprego
Margens e a taxa
natural de desemprego
Um aumento das margens A

de lucro diminui o salário


real e leva a um aumento
na taxa natural de A

desemprego.

Como a taxa de desemprego


de equilíbrio reflete a
estrutura da economia, um
nome melhor seria taxa de
desemprego estrutural.
 E um choque de produtividade (  A ) ?

 Qual seria seu efeito sobre a taxa de


desemprego ?

 fazer na lousa ...


Neste tópico...
1. Um passeio pelo mercado de trabalho

2. Fluxo de trabalhadores e a trajetória do desemprego

3. Determinação dos salários

4. Determinação de preços

5. Salários reais de equilíbrio e o desemprego

6. A relação Desemprego, Emprego e Produto


Neste tópico...
1. Um passeio pelo mercado de trabalho

2. Fluxo de trabalhadores e a trajetória do desemprego

3. Determinação dos salários

4. Determinação de preços

5. Salários reais de equilíbrio e o desemprego

6. A relação Desemprego, Emprego e Produto


Do desemprego ao emprego
Associado à taxa natural de desemprego existe um nível natural de
emprego.
U L N N
u   1
L L L
O emprego, em termos da força de trabalho e da taxa de desemprego, é:

N  L(1  u)
 E o nível natural de emprego, Nn , é dado por:

N n  L(1  un )
Do emprego ao produto
Associado a um nível natural de emprego há um nível natural de
produto, (e como Y = AN), então:

Yn  AN n  AL1  un 
 O nível natural de produto satisfaz:

 Yn  A
F 1  , z 
 AL  1   
Em palavras: o nível natural de produto é tal que, à taxa de desemprego
associada un = 1 – Yn /AL , o salário real decorrente da determinação
de salários é igual ao salário real relacionado a fixação de preços
Observação importante
Deduzimos un , Nn e Yn sob duas hipóteses:
 Equilíbrio no mercado de trabalho
 P = Pe

Curto prazo: em geral o nível de preços não é igual ao nível de preços


esperado, utilizado para a fixação dos salários nominais. Logo, não
podemos garantir que a taxa de desemprego seja (a todo instante)
igual à taxa natural.
Médio prazo: é pouco provável que as expectativas sobre o nível de
preços estejam sistematicamente erradas. Logo, a taxa de desemprego
deve ser igual à taxa natural e o produto igual ao seu nível potencial.
www.insper.edu.br