Vous êtes sur la page 1sur 24

EQUIPE DE MANUNTENÇÃO E INFRA ESTRUTURA

O trabalho só nos cansa, se não nos dedicarmos a ele com alegria.
Rabindranath Tagore

.

.

HIGIENE E SEGURANÇA NAS ESCOLAS .

que significa. • As pessoas deviam ter uma “saúde higiênica”. Antes. . Depois. Vem de hygeinos. em sua origem.• Higiene é uma palavra que veio da Grécia. a palavra virou um substantivo. “o que é são”. era um adjetivo usado para qualificar a saúde. em grego. um conjunto de hábitos que se deve ter para conseguir o bemestar e a saúde. “o que é sadio”.

. há muitos séculos. Nas casas dos ricos da Roma antiga havia água corrente e banheiros com chuveiros. Na Idade Média. Havia uma enorme quantidade de pulgas e piolhos. a Europa tornou-se imunda. até os reis usavam a água de poço e só lavavam as mãos e o rosto. as normas de limpeza e higiene vêm sendo modificadas.• Na sociedade ocidental. • A partir da queda do Império Romano. pois o sistema sanitário que aquela civilização havia construído foi destruído pelos invasores bárbaros.

por conta disso. . andavam pela rua aos saltos. disfarçou com perfumes a falta de banho. tinha que colocar póde-arroz nos cabelos. • Quem vivesse no século XVIII. Ele adiou o máximo que pôde o seu primeiro banho. para evitar pisar nos excrementos. além de tomar banho muito raramente. mais de uma vez por dia. preferiam trocar de roupas. Luiz XIV. em vez de banharem-se.• No século XVII. os franceses já eram famosos pelos seus fortes perfumes. Além disso. o Rei-Sol. Os nobres. em vez de lavá-los com água e sabão.

.

mesmo assim. Eles utilizavam os rios. a história foi diferente. Nossos colonizadores foram. até mesmo. tinha esses seus costumes. sujos e mal-cheirosos. até o século XIX. influenciados pelos índios. mais de uma vez por dia. • Ao contrário dos portugueses da época. não ficavam doentes. Nossos antepassados indígenas tomavam banho diariamente e.• Como a Europa. O banho. Mas. em geral. adotando o banho. os índios eram fortes. . muitas vezes. os lagos e as cachoeiras para seus banhos e. está presente em muitos rituais religiosos dos índios brasileiros. eles chegaram ao Brasil com os portugueses. saudáveis e asseados. aos poucos. aqui.

com a utilização de encanamentos para os esgotos. privada e bidê. Depois vieram os banheiros construídos com ladrilhos de cerâmica e o ferro fundido esmaltado.• No início do século XX. banheiro dentro de casa era luxo de ricos. Na década de 1950 passou-se a utilizar o plástico . Na década de 1930 surgiram os conjuntos coloridos de pia. Somente a partir de 1920 houve uma melhoria. A partir de então. as pessoas preocupadas com a higiene passaram a incluir os banheiros de madeira nos lares.

HIGIENE E EDUCAÇÃO .

• São muitos os lugares do mundo nos quais os Alunos faltam às aulas ou saem da escola por causa das doenças que vêm na água que bebem. • Crianças são as principais vítimas das baixas condições de higiene em um mundo onde centenas de milhões de pessoas lutam pela sobrevivência. . As mãos sujas por falta d’água também causam problemas do mesmo tipo.

.

bem como o correto armazenamento de produtos e descarte de lixo.• Um estabelecimento que vende ou distribui alimentos. Essas normas exigem a presença de um responsável técnico pelo estabelecimento e pelo uso de práticas adequadas. como a cantina escolar. está sujeito às normas sanitárias. tanto para lidar com os alimentos. quanto com a higiene pessoal. . também é responsável por ela. E quando o estabelecimento de ensino permite que terceiros explorem sua cantina.

Essas pessoas devem conhecer muito bem os procedimentos de higiene alimentar e de higiene pessoal. rosto e cabelos mal-lavados. além das causas e das conseqüências de uma intoxicação alimentar. também. da higiene pessoal. quem manipula alimentos deve se preocupar muito com a higiene. Devem.• Por isso mesmo. Afinal. . E estamos falando. ter consciência da sua responsabilidade com uma permanente busca de um perfeito manuseio dos alimentos. as bactérias podem chegar aos alimentos por meio de mãos. braços. acima de tudo.

.

SEGURANÇA NO TRABALHO .

. dos cuidados que também cercavam os padres em sua tarefa educativa. Participavam. com uma série de medidas de proteção à sua saúde e à integridade física. os irmãos coadjutores eram membros integrantes da ordem religiosa. portanto. de uma alimentação saudável e de todos os cuidados possíveis com sua saúde.• Nas escolas jesuíticas. a começar da residência comum em prédios sólidos.

• Já no período das aulas régias. . Dividiu-se com muita nitidez o trabalho limpo e mental dos professores e o serviço sujo e braçal dos “funcionários”. os serviços de apoio nas escolas eram executados por escravos e escravas. para quem era negada qualquer rede de proteção física e social. de 1772 a 1834.

beneficiaram-se dos avanços tecnológicos. As secretarias das escolas foram cada vez mais bem equipadas. que tende a aliviar o esforço do trabalho humano. E seus funcionários foram indiretamente atingidos pelo processo de modernização. .• Com a República e a progressiva extensão de direitos a toda a população. a ponto de contarem hoje com modernos sistemas de informática. as bibliotecas e os laboratórios. no contexto de cada um. por sua própria natureza. estenderam-se lentamente aos funcionários as benesses de que gozavam os professores.

sob a alta temperatura dos fogões.• Bem diferente foi a sorte das merendeiras e dos encarregados de vigilância e limpeza. com peso superior à sua força. desumanizavam-se em sua conduta. podíamos encontrar escolas onde as cozinheiras trabalhavam em ambientes acanhados. levantando poeira. restabelecendo a “ordem” militar das carteiras enfileiradas. Até recentemente. arrastando móveis. obrigadas a manusear enormes panelas. obrigados a assumir atitudes autoritárias e arrogantes. inclusive pelo porte ostensivo de armas de fogo. cada vez mais assustados com a ocorrência de assaltos e invasões do espaço escolar. Os vigias. lavando sanitários às pressas. longe de uma conduta de educado . tendo de fazer o asseio de salas de aula em poucos minutos. • Os servidores da conservação e da limpeza eram muitas vezes submetidos a condições irracionais de trabalho. entre os turnos de estudo dos alunos.

como as Lesões por Esforço Repetitivo (LER) e as depressões •psicológicas que atingem tanto professores quanto funcionários submetidos ao estresse das violências internas e externas à escola. de capacetes de proteção para os que executavam serviços de manutenção nos prédios. tais como o uso de vestuário adequado para as merendeiras. e precaução quanto a doenças profissionais. .• Algumas medidas paliativas foram tomadas.

• As empresas privadas têm sido pioneiras na descoberta e no uso de equipamentos. por exemplo. materiais e práticas que colaboram na segurança do trabalho. eletricistas. Dos escritórios das grandes firmas. os funcionários de escolas também participam. Das plantas da construção civil têm-se originado equipamentos de proteção física ou de facilitação do esforço de trabalho de pedreiros. tem derivado uma série de itens de segurança para os trabalhadores envolvidos. dessas situações de trabalho material que é intensivamente exigido nas empresas. uns de uma forma. têm surgido soluções ergonômicas e anatômicas para o trabalho sedentário. Dos restaurantes industriais das grandes fábricas. outros de outra. serventes. . encanadores. Ora.

W ¯ €  ° € f ¾ f¾ ¯  ° f¾ ¾ °nf –f ¾ –i°nf ¯½ f x  n ° ¯ ° ½ f¯¾ °n°f ¾nf¾ ° f¾ n° f¾ f fff¯ ¯ f¯  ° ¾ fnf°f ¾ ¾ f ff  ¯½ ff ¾ €–µ ¾  –f f¾ f ¯f°¾ f °¯ ¾ ½f° f¾ n¯ ½ ¾ ¾½  g ¾f €sf W ¾ ¾   ¾ f n°¾ fsj f ¯½ f f¯ ¯f¾   ¾ ¾ ¯  ¾ f n° sµ ¾ fn°f¾ f f  °  €f   f¾¾  ¾ff¾ ff ¯ ½n¾ ¯°¾ ° ¾ °¾ ¾  ¾ f°¾ ff¾f°  ¯ ¾  f°f°  ½ f  ¾f  n °  f # ¯# ¯f f¾ nf f¾ °€ f f¾ ff°  ¾f°h¾ g¾ ½ ¾¾f¾ ¾ –f¾ nf f   ¯f¾ f¾¾¾f ¾ n¯ f ny°nf f¾¾f¾ °f¾µ ¾  ¾½fs ¾nf ¾¯f°ff¯ ¾ ¯ ¾f n° f °n¾ ½  ½ ¾ °¾ f¯f¾ €–  –f ¾ f f¾¾¯ f ¾ fhf¾ f–f° ¾ °– ¯f n° f nf  .

W –¯f¾ ¯  f¾ ½fff¾ €f¯ ¯f f¾ f¾ n¯  ¾  ¾h f f  ½ff f¾ ¯  ° f¾ nf½fn  ¾ ½ sj ½ff ¾   nff¯ ¾ s¾ ¯f° °sj °¾ ½x ¾ ½ nfsj f° f  °sf¾ ½€¾¾°f¾ n¯ f¾  ¾µ ¾ ½ ¾€s  ½  %% f¾ ½ ¾¾µ ¾ W½¾n–nf¾  f°– ¯ f° ½€ ¾¾ ¾ f° €°n°h¾ ¾ ¯  ¾ f ¾ ¾¾ f¾ y°nf¾ ° °f¾  °f¾ g ¾nf .

W ¾ ¯½ ¾f¾ ½f f¾ y¯ ¾  ½° f¾ °f ¾n f ° ¾ ½f¯ °¾ ¯f f¾ ½hnf¾  nf f¯ °f ¾ –f°sf  f f ¾  ¾ff° ¾ ° ¾f¾ f¾ –f° ¾ €h nf¾ ½  ¯½  ¯ f  ¯f ¾x  °¾ ¾ –f°sf ½ff ¾ f ff  ¾ ° ¾ f¾ ½f°f¾ f n°¾sj n y¯ ¾ –°f  ½f¯ °¾ ½ sj €¾nf  €fnfsj  ¾€s f f ½  ¾ ¾  ° ¾  n¾f¾ °nf°f  ¾ ¾ ¾n¾ f¾ –f° ¾ €¯f¾ y¯ ¾–  ¾sµ ¾ –°´¯nf¾ f°f´¯nf¾ ½ff  f f ¾ °h f ¾ €°n°h¾ ¾nf¾ f¯ x¯ ½fn½f¯ °¾ ¯f €¯f ¾ f ¾¾f¾ ¾fsµ ¾ f f ¯f f  x ° °¾f¯ ° –  °f¾ ¯½ ¾f¾ .

Centres d'intérêt liés