Vous êtes sur la page 1sur 33
HOMEOSTASE A busca do equilíbrio

HOMEOSTASE

A busca do equilíbrio

DEFINIÇÃO

Manutenção das condições estáveis ou constantes no meio interno.

Essencialmente, todos os órgãos e tecidos do corpo desempenham funções interrelacionadas que ajudam a manter constantes tais condições.

HOMEOSTASE

Nos organismos vivos, a homeostase ou homeostasia significa o consumo de energia necessário para manter uma posição num equilíbrio dinâmico. Isto significa que, mesmo diante de variações das condições externas, os mecanismos homeostáticos

asseguram que os efeitos destas mudanças sobre os

organismos sejam mínimos.

No homem e em outros mamíferos superiores, será necessário que a homeostase aconteça tanto nas células isoladas como nas integradas, assim como nos tecidos, nos órgãos e nos fluidos corporais.

A homeostase conserva o liquido intersticial em uma temperatura apropriada de 37°C e mantém os níveis de nutrientes, oxigênio e outros íons (pH) adequados para as células do corpo se desenvolverem.

HOMEOSTASE

Líquido intracelular: (LIC) 2/3 do total no corpo humano grande concentração de íons potássio e fosfato.

Transporte ativo

Transporte ativo
Transporte ativo
Transporte ativo

HOMEOSTASE

Liquido extracelular (LEC) 1/3 do total no corpo humano Grande concentração de íons de sódio, cloretos e bicarbonatos Nutrientes para as células (glicose, ácidos graxos e aminoácidos) e oxigênio

SISTEMA DE CONTROLE DO LÍQUIDO

EXTRACELULAR

Transporte 2 etapas:

1 - Movimento do sangue pelo sistema circulatório.

2 - Movimento do líquido entre capilares e as células.

A homeostase é dinâmica, isto é, pode variar sobre um limite estreito compatível com a

manutenção dos processos celulares vitais. Por exemplo, o nível de glicose no sangue é

mantido dentro de uma amplitude limitada.

ORIGEM DOS NUTRIENTES DO LEC

Sistema respiratório = troca gasosa (hematose) ganho O 2

Trato gastrintestinal = Absorção nutrientes (digestão)

Fígado = modificação da composição química muitos elementos

Sistema musculoesqueletico = locomoção e mobilidade.

REMOÇÃO DOS PRODUTOS FINAIS DO

METABOLISMO

A) Remoção de CO 2 pelos pulmões Captação de CO 2 remoção de CO 2

B) Rins

Passagem nos rins = remoção de grande parte das substâncias não necessárias a células

Filtração e promoção de reabsorção de substância pelo sangue.

REGULAÇÃO DAS FUNÇÕES

CORPORAIS

Sistema nervoso: 3 componentes.

1 - Aferente sensorial

Receptores detectam o estado do corpo e ambiente.

2 - Sistema Nervoso Central (SNC)

Medula espinhal e encéfalo , armazenam informações, geram , pensamentos, etc.

3- Motor eferente Execução de atividades.

REGULAÇÃO ATIVIDADE MUSCULAR E

SECRETORA

Sistema Hormonal:

8 Glândulas endócrinas (Hormônios)

Transporte dos hormônios no LEC

Complementa o Sistema Nervoso Regulação funções metabólicas

Controle da Homeostase é

realizado pelos Sistemas de Retroalimentação

Os mecanismos homeostáticos corporais são controlados,

principalmente, pelo sistema nervoso e

pelas glândulas endócrinas.

Sistema Nervoso

O sistema nervoso detecta as alterações do estado de equilíbrio e envia mensagens, sob

forma de impulsos nervosos, aos órgãos que podem se contrapor a essas alterações.

Por exemplo, quando a temperatura corporal se eleva, os impulsos nervosos levam as glândulas sudoríparas a liberar mais suor, que esfria o corpo à medida que evapora.

Sistema Endocrino

As glândulas endócrinas corrigem as

alterações por meio da secreção de moléculas

denominadas hormônios no sangue. Os hormônios afetam células específicas do

corpo, nas quais provocam respostas que

restabelecem a homeostase.

Por exemplo, o hormônio insulina reduz o nível sanguíneo de glicose, quando, esse está

demasiadamente alto.

Controle da Homeostase

Os impulsos nervosos, de maneira característica, causam correções rápidas, ao

passo que os hormônios agem, em geral, mais lentamente.

Exemplos

Regulação térmica:

Os músculos esqueléticos tremem para produzir calor quando a temperatura corporal é muito baixa. Quando a temperatura é muito alta o suor arrefece o corpo por evaporação.

Outra forma de gerar calor envolve o metabolismo de gordura.

Regulação química :

O pâncreas produz insulina e glucagon para regular a concentração de açúcar no sangue (glicemia).

Os pulmões absorvem oxigênio e excretam dióxido de

carbono.

Os rins excretam uréia e regulam as concentrações de água e de uma grande variedade de íons.

Sistema de retroalimentação

Um receptor é uma estrutura corporal que monitoriza as alterações de uma condição controlada e envia a informação, denominada entrada (input) a um centro de controle. A entrada apresenta-se na forma de impulsos nervosos ou de sinais químicos. As terminações nervosas da pele que sentem a temperatura constituem um em centenas de tipos diferentes de receptores no corpo.

Um centro de controle, no corpo, estabelece a amplitude dos valores dentro dos quais deveria ser mantida uma condição controlada, avalia a entrada que ele recebe dos receptores e gera comandos de saída, quando necessários. A saída (output) é a informação, na forma de impulsos nervosos ou de sinais químicos, que é retransmitida do centro de controle para um efetor.

Um efetor é uma estrutura corporal que recebe a saída do centro de controle e produz uma resposta ou efeito que altera a condição controlada. Praticamente todos os órgãos e tecidos corporais podem se comportar como efetores. Por exemplo, quando sua temperatura corporal cai bruscamente, o encéfalo (centro de controle) envia impulsos nervosos aos músculos esqueléticos (efetores), que lhe provocam tremores, gerando calor e elevando sua temperatura.

Sistemas de Retroalimentação

Se a resposta neutralizar o estímulo original, como no exemplo da regulação da

temperatura corporal, esse mecanismo é denominado sistema de retroalimentação negativa.

Se a resposta reforçar ou intensificar o estímulo original, esse mecanismo é referido como sistema de retroalimentação positiva.

SISTEMA DE CONTROLE DO CORPO

FEEDBACK NEGATIVO

A maior parte dos sistemas de controle atuam

desta forma

Alto fator , produz redução do mesmo fator, o que

é negativo em relação ao estímulo. Ocasionado por fator excessivo ou deficiente,

levando um sistema de controle desencadear um feedback negativo, buscando a homeostase. Ex: alta de CO 2 no sangue

FEED BACK POSITIVO

Normalmente não ocorre Leva a instabilidade e morte

Estímulo inicial produz mais estimulação do mesmo tipo.

Conhecido com ciclo vicioso Pode ser útil

Ex: Coagulação e Parto.

Essa sequência de alterações responsável pela função reprodutiva madura é coordenada por uma série de alças

de retroalimentação (feedback) negativas e positivas. Para a maior parte do ciclo, o sistema reprodutor funciona no

modo clássico de retroalimentação negativa endócrina, com estimulação da secreção hipofisária de gonadotrofina culminando na secreção ovariana dos hormônios esteroides (estradiol e progesterona) e hormônios peptídeos (inibinas A e B). Os esteroides ovarianos, por sua vez, refreiam a secreção hipotalâmica de GnRH, a responsividade da hipófise ou ambas, enquanto as inibinas, 2 atuando diretamente sobre a hipófise, restringem ainda mais o FSH. Em adição a esses controles de retroalimentação negativa, o ciclo menstrual depende unicamente de um feedback positivo para produzir uma onda de LH (a onda pré-ovulatória ou de ciclo intermediário), a qual é essencial à maturação de um folículo maduro